22.8.17

O que esta semana dizem sobre nós [em atualização]

1) "Este início do Rio Ave, três jogos, três vitórias, é um registo excelente, de uma equipa que mudou de treinador, tem alguns jogadores novos, fez boas vendas, mas não alterou a filosofia na competição: jogar para ganhar sempre" (Jesualdo Ferreira, em O Jogo]

2)

Trabalhar na sombra

Excelente ideia do JVC desta semana, dando espaço aos técnicos da formação.

21.8.17

Tatiana, queremos ver-te na bancada!

(mas não é pela razão que estão a pensar, seus malandros; é apenas para deixar feliz o seu noivo, Óscar Barreto!)

E nós a rirmo-nos...

Estamos a entrar num semana que promete ser muito diferente do habitual. Pelo adversário que defrontamos e pelo lugar que ocupamos.
A comunicação social vai endeusar-nos, vai dizer que somos o pináculo da criação, seja por ingenuidade seja para facilitar a vida ao Benfica [interessa ao Benfica valorizar-nos para consumo interno, deles...].
E nós a rirmo-nos...
Claro que é muito melhor dizerem bem do que mal.
Mas estou certo que em Vila do Conde ninguém vai perder a cabeça com o que vai ser dito.
[este texto, do Correio da Manhã de sábado, é, por isso, muito interessante. Mas o Rio Ave não é o quarto maior Clube de Portugal. Os clubes das capitais de distrito têm essa obrigação, além do Guimarães. Nós fazemos o nosso caminho...]

Top contratações do Rio Ave [em atualização]

1º Pelé (ex-Benfica, época 2017/18, 2,5 milhões por 50% do passe)
(foto: Rio Ave FC)

2º Nuno Santos (ex-Benfica, época 2017/18, 2,5 milhões por 100% do passe)

3º Gabrielzinho (ex-Linense, Brasil; época 2017/18, 800 mil euros por 50% do passe)

4º Krovinovic (ex-NK Zagreb, época 2015/16, 750 mil euros por 50% do passe?)

5º Jebor (ex Al-Ahly Tripoli, época 2014/15, 400 mil euros?)

(aceitam-se como naturais imprecisões nos números)

20.8.17

O 1º D. Barreto do ano (é o rei!)

Barreto foi o jogador mais pontuado naa 3ª jornada.
O colombiano conseguiu 39 pontos, mais dois do que Guedes e três do que Geraldes.
Logo a seguir aparece Cássio (34).
Sem surpresa, o titular menos pontuado foi o azarado Lionn (23, os mesmos de Pedro Moreira).
O suplente mais pontuado foi Nadjack, com 31 (os mesmos de Tarantini e mais um do que Marcelo, por exemplo).

Marcelo

Marcelo jogou e não se percebeu que tenha sido uma despedida.
A Bola diz - e vamos acreditar - que a proposta do Levante era curta.
Mas o jogador terá outros clubes interessados.
A saída é inevitável?
Pelos adeptos, continuaria, acredito.

Três jogo depois, sim e não (e talvez...)

Do que gosto neste novo Rio Ave:
- da qualidade individual de muitos jogadores (aos que já cá estavam, juntaram-se outros com igual ou maior valor);
- da disponibilidade física para correr atrás da bola quando é necessário;
- da liberdade dada pelo míster aos criativos do meio campo para jogarem e fazerem jogar;
Do que não gosto neste novo Rio Ave:
- da falta de extremos (que não é - ainda - compensada pelo trabalho dos laterais);
- da pouca produção ofensiva (vale o que vale, mas Cássio foi melhor do que os guarda-redes adversários nestes três jogos);
- do trabalho dos dois médios mais defensivos, muito por culpa de Pelé ainda estar à procura da melhor forma;
(e a velha teimosia... da falta de oportunidades para os jovens valores da formação)

Do que não sei se gosto neste novo Rio Ave:
- o sistema tático!

(venham daí outras opiniões)

19.8.17

MIguel Cardoso muito bem

Se já aqui deixei as minha reservas relativamente ao facto de a equipa não estar a conseguir interpretar da melhor forma o sistema tático proposto pelo míster (falta de entrosamento? características dos jogadores? características do próprio sistema?), não posso deixar de elogiar o sangue-frio de Miguel Cardoso relativamente aos 9 pontos (e à liderança).
Era fácil o míster mandar umas bocas, mostrar um pouco de 'cagança', aproveitar para elogiar o trabalho realizado ou mesmo o seu próprio trabalho, mas Miguel Cardoso tem sido super sereno, com os pés bem pousados na terra: são apenas nove pontos, nada mais.
O adepto até se pode entusiasmar, mas o timoneiro tem de ser o líder. E Miguel Cardoso está a mostrar saber liderar muito bem nesta questão.

(3j um-a-um frente ao Portimonense) Esse avançado chamado Nadjak

Cássio: 4 (a exibição só não foi perfeita porque na reposição de bola houve duas ou três hesitações na articulação com a defesa, o que é raro de ver em Cássio)
Lionn: 2 (muito preso, pouco audaz no ataque; saiu queixoso das costas)
Marcelo: 3 (importantes cortes, mas algumas hesitações na saída com a bola)
Marcão: 3 (a defender esteve bem, mas destaco as várias tentativas que fez, sobretudo na primeira parte, quando sentiu a equipa muito presa, para sair com a bola dominada para a área adversária; quase 4)
Bruno Teles: 2 (não gostei. Não atacou, muitas bolas para trás, falta de confiança? Perdeu para Yuri R);
Pelé: 3 (melhor do que em jogos anteriores, mas o seu estilo lento e nem sempre eficaz pertubam o adepto; de resto, boa leitura, bom posicionamento, disponibilidade física total)
Tarantini: 3 (o seu melhor jogo, sobretudo pela segunda parte. Foi um dos maestros da mudança; apareceu mais móvel e já se pôde mostrar)
Rúben Ribeiro: 2 (quando largar a bola um toque antes, será definitivamente um caso sério)
Geraldes: 3 (irregular ontem; brilhou e apagou; muitas dificuldades para fazer circular a bola; teve a melhor oportunidade da primeira parte para marcar; os melhores pés de Vila do Conde...)
Barreto: 3 (andou desenquadrado na primeira parte, mas virou tudo com o golaço da segunda)
Guedes: 4 (ontem esteve muito mais participativo. Marcou um bom golo e esteve em mais dois ou três lances perigosos. Um prémio para os dois golos em dois jogos)
Nadjack: 4 (o melhor em campo. Melhor do que Lionn, induscutivelmente. Conjuga a força da técnica e a técnica da força, como diria o outro. A vitória de ontem teve o seu dedo. Agarrou o lugar!)
Pedro Moreira: 3 (quase voltava a marcar. Anda por territorios mais avançados, mas dá-se bem. Luta total)
Nuno Santos: 1 (pouco tempo em jogo)

A vitória que nos pôs na frente da classficação

1) Penso que não há um só Rioavista que tenha gostado da primeira parte. Não estarmos a perder ao intervalo foi quase milagre;
2) Fomos uma equipa com dois grandes defeitos; sem garra no ataque à bola adversária e com todas as opções pelo centro do terreno; não houve jogo poe parte dos laterais, não houve portanto cruzamentos, tudo afunilado e presas fáceis para o adversário (um Portimonense de qualidade, diga-se!, o que valoriza mais esta vitória).
3) A entrada de Nadjack ajudou muito a mudar o rumo. A equipa já vinha para a segunda parte disposta a corrigir os erros, mas o lateral - que mais parece um extremo - fez a diferença em dois ou três lances, confirmando as indicações dadas quando regressou à equipa na época passada.
4) O Rio Ave foi mais pressionante, mais agressivo, mais rápido, mais imaginativo.
5) Voltou a ter sorte, é verdade; o resultado é exagerado, é verdade, mas premeia a qualidade individual visivel na segunda parte [custa reconhecer, mas o empate não seria injusto...].
6) Continuo a ter muitas dúvidas sobre a forma como a equipa se organiza em função do 4-2-3-1 de Miguel Cardoso. A primeira parte só aumentou essas dúvidas. Quando os jogadores ficaram menos presos a essa ideia, o Rio Ave melhorou muito (Tarantini mais adiantado, Barreto mais solto).
7) O resto? Bem o resto...

18.8.17

S. Ferro

Jogo complicado perante um adversário que mostrou qualidade. Felizmente tiveram erros bem aproveitados pelo Rio Ave.
Os ferros da nossa baliza foram heróis por duas vezes. Cássio também esteve bem (enorme defesa ainda na primeira parte). Pelo que a vitória é merecida.
3 jogos, 3 vitórias e 9 pontos à terceira jornada.
Pontuando individualmente:
Barreto: 4. O seu golo alterou tudo, para melhor a favor do Rio Ave.
Todos os outros: 3. Lutaram até à exaustão e formaram uma equipa (que é o melhor elogio que pode haver ao conjunto).

2-0 ao Portimonense. Felicidade e qualidade

A entrada  de Nadjack trouxe velocidade e perigo. E golo. Começamos a segunda parte a ganhar e depois correu tudo bem.
O portimonense foi a melhor equipa que enfrentamos e merecia um golo.
Segunda parte melhor  justifica a vitoria
A qualidade individual dos nossos jogadores fez a diferença.

0-0 ao intervalo frente ao Portimonense. Muito fraco

Que mau jogo da nossa equipa
Cássio, o poste e sorte do nosso lado.
Assim  não vamos lá

Onze frente ao Portimonense: com Marcelo e Bruno Teles

É o mesmo onze, com a entrada de Bruno Teles. Yuri Ribeiro não está no banco.
Nadjack entra nas contas e senta-se no banco.

Época nova, Pinheiro novo?

João Pinheiro, o árbitro de logo, é (do meu ponto de vista) um dos mais fracos de toda a Liga.
Em vários jogos por ele arbitrados experimentamos a sua incompetência (na Luz, a época passada, para referir o mais recente).
Mas esta é uma época nova. E diferente.
Faz sentido dar o benefício da dúvida (e se até Bruno Paixão parece ter melhorado na última época...)


Todos convocados...

Pela primeira vez, o míster optou por não divulgar lista de convocados para logo.
Formalmente estão todos ao serviço.
Logo se saberá quem ficou na bancada.

(sem lesões, que se saiba, e com um onze muito estabilizado, esta opção de Miguel Cardoso surpreende. Apenas jogada psicológica? Vou tentar perceber porquê)

Marcelo de saída? (ATUAL.)

Para o Levante, da 1ª divisão espanhola., diz A Bola.
Cerca de um milhão de euros.

(é o último ano de contrato de Marcelo, se não renovar. O jogador gostaria certamente de sair; o Rio Ave já não teria tanto interesse, por perder um dos principais elementos e o valor não ser nada de especial. Mas acredito que o negócio se fará. E que virá um substituto à altura, se é que ele não está jáno plantel...; veremos se é convocado daqui a pouco)

ATualização: a notícia é do jornal Superdeportes, de Valência, que diz que já há contactos e que Rio Ave e Marcelo vêm a transferência com bons olhos.

Miguel Cardoso: se formos nós próprios...

O míster acredita que se o Rio Ave se mantiver fiel ao que tem sido nos dois primeiros jogos terá mais probabilidades de vencer.
Outra ideia: importa menos (estudar) o adversário do que potenciar as características dos nossos jogadores;
A equipa ainda está em consolidação.
Sobre o onze: não se compromete; há muitos jogadores no plantel que podem ser titulares;
E a liderança? Isso é para os jornalistas se entreterem... O que interessa são os três pontos.

17.8.17

O arranque do campeonato de juniores

Sábado, primeira jornada: Rio Ave joga no Olival com o FC Porto.
Será a estreia de Mateus Lima como treinador principal e certamente a estreia de muitos elementos neste campeonato, já que a equipa sofreu a normal renovação etária.
Por aquilo que se vê neste video, reconheci menos de meia duzia da época passada (Ferreirinha, João Pedro, Rafael Braga e Diogo Teixeira - falhou-me alguém?).



Lugares anuais - sucesso?

Nos últimos dias tenho ouvido alguns adeptos dizerem/lamentarem que já não há lugares anuais disponíveis pelo menos na bancada coberta.
Não conheço os números, mas parece, à primeira vista, que as desconfianças iniciais deram lugar a uma aposta clara por parte dos Rioavistas.
Mesmo com todas as limitações de conforto (metade dos lugares anuais na parte de cima apanha chuva), a confirmarem-se estas informações, os adeptos disseram sim!
Falta a Direção (cor)responder com as obras.

16.8.17

Do Brasil para a B?

A notícia de O Jogo é omissa - e está mal.
Fica-se com a ideia de que este jovem de 18 anos, Leandro Alves, vem para jogar pela equipa principal.
Como é lógico, jogará na B ou nos juniores.
Aliás, já alinhou hoje pela B em Santo Tirso.

5 suplentes (e o que repete)

Miguel Cardoso não facilita no onze, mas em seis hipótese testou cinco suplentes diferentes:
Frente ao Belenenses entraram Bruno Teles, Nuno Santos e Pedro Moreira.
No Bessa, foram chamados, Gabrielzinho, Karamanos e Pedro Moreira.
(foto: rr.sapo.pt)

Pedro Moreira aparece, portanto, em posição de destaque - muito mais pelo golo.
Pronto para render Pelé ou Tarantini?

Dos convocados, há quatro que ainda não foram chamados ao relvado: Rui Vieira, Monte, Leandrinho e Novais.

Boateng na 1ª liga espanhola

Sempre fomos fãs de Boateng.
Sempre nos custou ver a sua saída para o Moreirense.
Sempre imaginamos que podia ir mais longe.
Boa sorte a este nosso ex-jogador.

(Boateng  vai encontrar na liga espanhola outro ex-Rio Ave, Zeegelar)

Os quatro grandes...


(atenção: isto é apenas uma brincadeira e uma provocação aos nossos vizinhos; nada de embandeirar em arco! Duas jornadas são apenas duas jornadas, contra equipas teoricamente mais acessíveis. Mas estes seis pontos já ninguém nos tira!)

15.8.17

Sintético nº 2 vai receber jogos de futebol

Até agora o sintetico mais recente (e mais distante)apenas servia para treinos.
Agora, a partir do pedido de homologação feito pelo Clube, poderá passar a receber jogos.
O que, diga-se de passagem, vai ser muito necessário, porque há mais uma equipa a competir (B).

PS - o velho sintético vai ser substituído no início de Setembro, mas dá a ideia (errada?) de que se tivesse sido em julho ou agosto daria menos complicações.

14.8.17

O que os números (também) nos dizem

Miguel Cardoso repetiu o onze.
Ou seja, só há 11 jogadores que entraram de início.
Mas todos ao mesmo nível?
O que os números nos dizem é que há um ligeiramente abaixo dos outros.
Para Óscar Barreto a adaptação parece estar a ser um pouco mais difícil - o que é compreensível.
É o único dos 11 que não conseguiu acumular 60 ou mais pontos [Geraldes lidera com 78, Cássio em 2º]; na primeira jornada foi o menos pontuado, nesta foi o segundo menos.
Juntamente com Geraldes, foi o único a ser substituído nas duas partidas.
Irá Miguel Cardoso dar oportunidade a outro jogador?
Ou melhor, há no plantel um jogador (de características semelhantes) em melhor forma?


Cássio (nos) Anjos - o melhor!

Cássio foi o melhor da jornada.
(foto: Maisfutebol)

Conseguiu 41 pontos, mais quatro do que Geraldes e mais seis do que Guedes e Marcão.
O titular menos pontuado foi Ruben Ribeiro (28 pontos).
O suplente Pedro Moreira conseguiu 30, mais um do que Barreto.


Dia do Santo Cássio

O dia 12 de agosto devia ser instituído pelo Rio Ave como o dia do Santo Cássio.
Defendeu tudo o que tinha a defender, transmitiu sempre segurança e fez a equipa acreditar, acreditar não só na vitória do jogo com o Boavista, mas também numa excelente época. e Terminou o jogo a defender uma grande penalidade nos últimos segundos do jogo.
A equipa esteve melhor do que no último jogo. O jogo foi para gente de barba rija. ganhou a melhor equipa.
Cássio: 5. Por tudo o que defendeu e garantir nos minutos finais a vitória.
Lionn: 3 Esteve bem. Cumpriu a sua missão.
Marcelo: 3. Esteve bem a defender, mas teve um ou outro erro ao nível do passe.
Marcão: 4. Não se deixou intimidar pela dureza adversária e respondeu positivamente.
Yuri Ribeiro: 4. Defendeu bem fez todo o seu flanco, ajudando o ataque.
Tarantini, Pelé e Óscar Barreto: 3. Lutaram muito, num jogo quezilento no meio campo.
F. Geraldes: 4. Tem tudo para brilhar neste Rio Ave. Enquanto as baterias duraram foi excelente.
Rúben Ribeiro: 3. Embrulhou-se demais com os adversários.
Guedes: 4. O ponta de lança nato. Golo de cabeça (praticamente sem saltar) na primeira oportunidade que teve. 
Karamanos: 3. Veio dar força ao ataque.
Gabrielzinho: 3. Pouco tempo em jogo (15 minutos), mas bem a conduzir a bola.
Pedro Moreira: 4. A sua entrada parecia que era para dar mais consistência ao meio campo e torna-se o marcador do golo da vitória. Após uma recuperação de bola o Rio Ave faz uma transição rápida e cinco jogadores aparecem na área do Boavista, tendo Pedro Moreira finalizado da melhor forma.

1% de ser campeão

De acordo com um modelo matemático, de um site norte-americano, só há cinco equipas em Portugal com hipóteses de serem campeãs: as três do costume, Braga e Rio Ave (estas duas com 1%) [as outras têm menos de 1%, segundo a tabela abaixo].
Entre outras coisas, também diz que o Rio Ave tem 2% de hipótese de descer de divisão, menos do que o Braga ou o Guimarães!



(entre outras coisas,para além da parte divertida, o que esta notícia nos diz é que o Rio Ave se afirma cada vez mais com uma das equipas importantes deste campeonato)

13.8.17

Os 37 de Cássio

Escrevo sem saber se Cássio será o melhor em campo no Bessa. Provavelmente sim, embora eu próprio tenha destacado Marcão (com os mesmos pontos).
Cássio fez ontem 37 anos.
E foi mais uma vez decisivo.
È o nosso bi-Rei.

A caminho do tri???

(Cássio pode não ser um jogador efusivo, pode não ser daqueles que faz defesas prá fotografia e que berra muito. Mas é um craque dentro e fora das quatro linhas!)

(2j um-a-um frente ao Boavista) Marcão, nasceu uma estrela?

Cássio: 4 (decisivo. Tudo dito!)
Lionn: 3 (esteve menos em jogo do que o seu parceiro das alas; apareceu menos no ataque)
Marcelo: 3 (cortes decisivos; o golo boavisteiro nasce de um passe em profundidade mal medido, mas a culpa não é apenas sua)
Marcão: 4 (era o jogador sobre quem tinha mais dúvidas, relativamente à sua utilização no onze e à pré-época. As dúvidas estão desfeitas ou quase. Que grande exibição ontem: controlo de bola, antecipação, desarme, capacidade física, etc...)
Yuri Ribeiro: 3 (quase 4. Gostei)
Pelé:  3 (melhor do que na semana passada)
Tarantini: 3 (quase só defende. Nunca joga mal, mas também não brilha)
Barreto: 2 (um pouco melhor, mas ainda muito inconsequente)
Ruben 2 (no melhor e no pior. Está no lance do nosso golo e está no golo adversário: fica passivo quando não chega à bola lançada por Marcelo; ainda comete o penalti...)
Geraldes: 2 (começou bem, mas caiu muito. Na segunda parte desapareceu)
Guedes: 3 (marcou e teve mais dois ou três lances)
Karamanos: 1 (não se viu)
Gabrielzinho: 2 (deixou água na boca para mais)
Pedro Moreira: 2 (menos de 10 minutos em campo e o golo da vitória)
(foto: Rio Ave FC)

Mais algumas notas sobre o jogo de ontem

Em complemento a isto, aqui ficam mais algumas notas:

- O jogo de ontem foi mais dificil do que contra o Belenenses. O Boavista apresentou-se super aguerrido, pressionando com dois ou três homens a nossa posse de bola e juntou a isso uma agressividade em muitos casos para lá dos limites.
- Jogámos um pouco melhor ontem do que frente ao Belenenses, talvez porque a exigência tenha sido maior ou porque há elementos a subir de rendimento (Barreto, sem ter jogado bem, esteve melhor ontem; Guedes também; Marcão brilhou);
- Uma mudança muito importante: os laterais, sobretudo Yuri Ribeiro, subiram muito mais do que na semana passada; e isso faz toda a diferença.
- O que falhou: mais objetividade no último terço do campo, mais remates à baliza, criar mais perigo;
- O resultado final até poderia ter sido um empate, mas não seria justo. Premiaria a combatividade alheia (é, basicamente, o trunfo desta equipa), mas deixaria os Rioavistas injustiçados: mesmo com as falhas já apontadas, fomos sempre a melhor equipa.
- Ao segundo jogo, penso que já se pode dizer isto: o Rio Ave tem um dos melhores seis planteis da Liga; falta agora ter uma das melhores seis equipas! Mas acho que estamos no bom caminho.
(foto: Rio Ave FC)

12.8.17

Vitória por 2-1 no Bessa. Justo mas...

O Rio Ave fez uma segunda parte um pouco amorfa e com pouca qualidade (para o que queremos e exigimos à nossa equipa) . Mas raras oportunidades de golo não impediram uma vitoria da melhor equipa.
Não fizemos um bom jogo também por culpa/mérito do adversário mas só foi pena termos sofrido  o empate  e tanto sofrimento a acabar. Tivemos sorte.
Obrigado Cássio.
Dito  isto  fica o registo para a péssima exibição do árbitro Luís Ferreira que deixou  o Boavista fazer aquilo que sabe fazer  tão bem: dar porrada. Uma vergonha.
Não era por isto  que perderiamos dois pontos mas o que se passou foi incrível

Vitoria 1-0 ao intervalo no Bessa

Golo  de Guedes.
Qualidade do Rio Ave frente aos sarrafeiros do Boavista.
Jogo  muito  difícil perante a pressão forte do adversário.
Força Rio Ave!

4 menos 1: Rafa regressa ao Vilaverdense

Primeiro dos 4 a ser colocado:
Rafa foi emprestado ao Vilaverdense (onde jogou na época passada).

(O Vilaverdense contratou Zé pedro, um jovem a quem eu via muito futuro mas que - tenho de o reconhecer - não o confirmou, nomeadamente no Académico de Viseu; dos poucos minutos que fez com a nossa camisola, retenho o extraordinário impulso e a capacidade de no ar, ganhar as bolas aos defesas. Mas a verdade é que não houve oportunidade para ver mais do que isso)

Felicidades aos dois.

(ei-lo aqui num dos últimos treinos, juntamente com Abalo)

Os mesmos convocados com

Uma alteração: são Leandrinho e entra  João Novais

Cássio e Rui Vieira;
- Lionn, Monte, Yuri, Bruno Teles, Marcelo e Marcão;
- Pedro Moreira, Tarantini, RR, Geraldes, Nuno Santos, J Novais, Pelé, Barreto e Gabriel(zinho);
- Karamanos e Guedes;

Ainda o desinteresse da Fosun

Foi-nos dito que o interesse numa SAD do Rio Ave desapareceu.
Será esta a explicação?

11.8.17

3 dúvidas para amanhã

Dúvidas que surgiram no jogo de estreia (vindas de um nabo que vê futebol há quase 40 anos):

- este sistema deixa dois médios mais defensivos (Pelé e Tarantini); custa-me ver Tarantini preso a estas funções, sem poder 'crescer' no terreno e a fazer a diferença;
- a bola raramente chegou ao ponta de lança; faz sentido ter um homem preso na área ou, em alternativa, alguém mais móvel no ataque, que jogue mais com os pés do que com a cabeça?
- neste sistema de 4x2x3x1 não seria normal que os defesas laterais subam mais?
(foto: Facebook Rio Ave FC)

De cartão na mão

No jogo com o Belenenses pairava sobre os sócios do Rio Ave FC um clima de expectativa. Todos eles se dirigiram para os seus lugares anuais. Cada um sabia o seu sector, a fila e o número do lugar. Alguns até viram o seu nome gravado no lugar (qual passeio da fama).
Num jogo sem enchente, o teste seria facilmente ultrapassável e cada um, finalmente, iria ocupar o SEU LUGAR.
Todos? Não. No sector 6 tal não aconteceu. Os lugares anuais (reservados) estavam ocupados por outras pessoas que não as que adquiriram esses lugares.
Naturalmente não houve problemas, o espaço envolvente, vazio, era muito e daí não ter havido qualquer problema - até deu para brincar.
Mas como será quando for com um "grande", com casa cheia?

Miguel Cardoso, o jogo de amanhã e o plantel fechado

1) «Estamos focados em conseguir que o nosso jogo corresponda à nossa identidade. O nosso plano é impor o jogo que construímos desde o inicio. O desafio é conseguir, nos diferentes cenários – agora é primeiro jogo fora – que os jogadores mantenham o foco naquilo que é a nossa proposta de jogo e que nos levou a ganhar o último desafio; Queremos que o Rio tenha personalidade e uma ideia de jogo. Torna-se mais confortável jogar com o nosso plano de jogo, sorriremos muito mais se jogarmos com a nossa identidade.»»

2) «Todos os grupos têm mais-valias, o que significa que alguns dos nossos jogadores podem tornar-se apetecíveis. De repente pode aparecer um negócio. Não tenho expectativa que saiam jogadores, não posso é afirmar que isso não possa acontecer. Também não temos prevista qualquer entrada, mas o mercado pode oferecer mais-valias com as quais não estamos a contar e podem valorizar o plantel. Contudo, nada disso está em cima da mesa.»
(A Bola)

Rotação?

Por regra os treinadores gostam de ter dois jogadores para o mesmo lugar mas não são adeptos de promover uma certa rotação entre eles (uma semana joga este, na seguinte outro). Nos últimos anos no Rio Ave NES fez isso com os guarda-redes, mas é realmente raro.
A rotação é democrática, no sentido de que dá mais oportunidades a mais jogadores, sobretudo quando o treinador entende que há dois jogadores com valor e características idênticas, em bom momento de forma.
Por exemplo, Miguel Cardoso poderia ter Bruno Teles a titular e Yuri Ribeiro no banco, no Bessa.
Pelé ou Pedro Moreira?
Barreto ou Gabriel(zinho)?
Guedes ou Karamanos?

Vamos ter de esperar pelo onze frente ao Boavista para perceber se o primeiro onze veio para ficar!
(foto: Facebook Rio Ave FC)


Manchester City, Manchester United e Milan (entre outros) em Vila do Conde

A fazer fé no que dizia esta semana A Bola, estiveram nos Arcos a assistir ao Rio Ave-Belenenses equipas de topo da Europa.
Manchester City, Manchester United, Milan, West Ham, entre outros.
Partindo do pressuposto de que não vieram para ver jogadores do Belenenses, quem viram do nosso lado? Algum dos reforços?
Em Inglaterra estão curiosos.
Nós também...

10.8.17

Um gesto que Geraldes não poderá repetir (ATUAL.)

Primeiro jogo - foi o último a chegar ao plantel - e logo com o golo decisivo.
Neste contexto nem foi valorizado o amarelo que Francisco Geraldes viu por tirar a caneleira e mostrá-la nos festejos.
Pelos vistos a FIFA não permite que os jogadores tapem a cabeça com qualquer objeto, daí o cartão.
Como Geraldes vai marcar mais ao longo do campeonato, o que irá fazer?
Recordo que já mostrara a caneleira que tem a máscara do filme ‘V de Vingança’quando marcou pelo Moreirense (ao FC Porto). E, nessa altura, disse que o faria sempre que marcasse.

PS - eis a explicação do jogador para aquele gesto em concreto:
"Mostro porque muito do que penso está ali resumido. Tem tudo a ver com a mensagem do filme. Vi-o com o meu pai no cinema e marcou-me. Na altura não tanto porque com apenas 11 anos, não estava tão desperto e tão atento ao quão real, atual e verosímil é a mensagem do filme. Hoje, depois de ter estudado, ler muito e tentar perceber várias questões, identifico-me totalmente com a ideia revolucionária do filme."

4 para colocar (e Yazalde?)

O Rio Ave foi das primeiras equipas a ter o seu plantel fechado - trabalhou-se bem.
Há, contudo, quatro casos para resolver até ao fim do mês.
Jaime, Rafa, Kelechi e Abalo (que treinam com a equipa B) poderiam ser colocados em equipas com mais exigência competitiva. É que se Kelechi acabou a formação de junior, os outros já andaram por patamares mais altos e até já se estrearam com a equipa principal.
Uma equipa da segunda liga seria o ideal.
(treino conjunto A-B ontem; Silvério entre Filipe Almeida e Kelechi; foto: Facebook Rio Ave FC)


PS - E Yazalde? Saiu aquele notícia há duas semanas e entretanto nada aconteceu. Acredito que não vá acontecer. Yazalde está inscrito na Liga e é jogador do Rio Ave. Mas não é prioridade para MC, pelo menos nesta altura. Yazalde precisa de relançar a carreira, precisa ele próprio de uma chicotada psicológica para acordar. Conseguirá com que isso aconteça no Rio Ave?

9.8.17

Gostei!

Feio
Bonito

Míster, mal amados????

Miguel Cardoso disse no final: "[Rúben Ribeiro e Francisco Geraldes] são altamente compatíveis. Quem me dera a muitos treinadores terem jogadores dessa qualidade. Comparo os dois um bocadinho ao Salvador Sobral. Quando foi para Kiev ninguém gostava dele, quando chegou era adorado por todos. São mal-amados porque são talentosos."

Mal amados, míster?
Os dois mais pontuados na jornada!
Não é de certeza pelos Rioavistas!

Chegar, ver e vencer - Geraldes, o rei

Vitória indiscutível de Francisco Geraldes no 1º rei semanal.
O jogador emprestado pelo Sporting somou 45 pontos, mais 8 (!) do que Ruben Ribeiro.
Seguem-se Marcelo, Marcão e Cássio, com 36.
O titular menos pontuado foi Barreto (apenas 29), atrás de Guedes.

PS - o apuramento do Rei do Ave 2017/18 conta com um reforço, a substituir Paulo Vidal: o nosso consócio Renato Sousa estreia-se hoje com os seus votos. Bem vindo.

8.8.17

Como jogaram

Começou a época da melhor maneira. Jogo caseiro perante um adversário que tem sentido muitas dificuldades em Vila do Conde, perante um público animado e apoiante, só podia mesmo dar vitória. Foram três pontos saborosos, apesar das condições climatéricas, vento e frio. Jogo sem casos, sem recurso ao videoárbitro, aqui e além bem jogado.
A pontuação máxima vai para um novato, não pelo golo que marcou, mas sim pela qualidade que demonstrou.
Cássio, Lionn, Marcelo, Marcão, Yuri Ribeiro, Pelé, Tarantini, Óscar Barreto, Rúben Ribeiro e Guedes: 3. Foram um conjunto compacto e solidário, um verdadeiro bloco quer a defender quer a atacar.
Pedro Moreira: 2. Cerca de vinte minutos em campo, veio reforçar o meio campo e dar mais força.
Nuno Santos e Bruno Teles: 1. Pouco tempo em jogo, por isso a penalização (sem culpa dos atletas).
Francisco Geraldes: 4. Sobressaiu na equipa. Demonstrou classe e definiu as jogadas quase sempre bem. Bem a atacar e a defender. Além disso, com muita felicidade, marcou o livre que deu a vitória do Rio Ave.

(1j um-a-um contra o Belenenses) Geraldes... sem pavor do vento!

Cássio: 3 (seguro)
Lionn: 2 (abaixo do que...)
Marcelo: 3 (sempre seguro)
Marcão 3 (boa surpresa)
Yuri Ribeiro: 2 (discreto)
Pelé: 2 (não foi um jogo para guardar nas memórias)
Tarantini: 2 (aparece a fazer uma posição que não favorece as suas qualidades. Está muito preso à linha do meio campo e não consegue fazer as ruturas que sabe e gosta de fazer.)
Ruben Ribeiro: 3 (teve bons momentos mas foi muito irregular)
Barreto: 1
Geraldes: 4 (pelo golo, mas sobretudo pela qualidade nos passes e nas desmarcações. Classe)
Guedes: 1 (podia ter feito mais? Podia ter feito melhor?)
Pedro Moreira: 1 (não conseguiu protagonismo)
Nuno Santos: 1 (não conseguiu mostrar-se)
Bruno Teles: 1 (sem tempo para...)

Análise aos reforços: Geraldes sem... Barreto

Positivo 
Geraldes (liderança, classe, entusiasmo)
Marcão (boa atitude, boa capacidade física, desinibido)
Neutro:
Yuri Ribeiro: (viu-se pouco no ataque - indicações do mister? - e não se relacionou com os seus vizinhos)
Pelé (bons e maus momentos, sobretudo desconcentrações e perdas de bola; lento)

Negativo:
Barreto (pouco ou nada lhe saiu bem)

Um a um contra o Belenenses

Cássio, 3. Sempre atento e seguro, não facilitou em bolas mais complicadas.
Yuri, 3. Mexido, aqui e ali talvez um pouco deslocado, mas no geral saiu-se bem.
Marcão, 3. Voltamos a contar com um central canhoto. Mais encolhido que Marcelo, não facilitou quando teve de intervir.
Marcelo, 3. Mais activo, exposto e ousado que o colega do lado, teve uma actuação positiva.
Lionn, 3. Não esteve mal, mas confesso que esperava mais de Lionn neste esquema em que os laterais sobem mais vezes.
Pelé, 2. Não gostei nada. Perdas de bola e passes errados em zonas onde deixou a defesa completamente exposta são as notas que tenho do jogo do nosso trinco. Actuação que precisa de revisão atenta.
Tarantini, 3. Pendular, como se sabe que é.
Geraldes, 4. Foi um golo de sorte, não há como esconder. De todos os reforços foi o que mais esteve em jogo, aquele que mostrou mais recursos e até um melhor entendimento com os colegas. Foi um primeiro jogo interessante com as cores do nosso Rio Ave.
Barreto, 2. Confesso que não me ficou nada de relevante na memória.
Ruben Ribeiro, 3. O enervante Ruben Ribeiro leva este 3, mas tem sempre bola e qualidade para levar mais. De uma vez por todas, compra um dicionário Ruben e procura a palavra objectividade. Vais tornar-te um jogador muito acima da média.
Guedes, 2. Pensei que o novo treinador o ia obrigar a ser mais fixo para não andar a desperdiçar energia nas sua correrias por toda a frente de ataque., Enganei-me.

Pedro Moreira, 2. Não esteve muito tempo em campo, mas foi lutador.
Nuno Santos, 1. Sem grande relevo.
Bruno Teles, 1. Pouco tempo em campo.

(1j Belenenses) Vento, sorte e querer

- Qualquer análise honesta tem de ter em conta o vento, muito forte sobretudo na primeira parte, quando o tivemos pela frente. O vento obrigou a nossa equipa a passes muito curtos no meio campo adversário, problema acrescido porque o Belenenses tinha sempre oito elementos nesse mesmo espaço.
- Qualquer análise ao jogo corre o risco de ser contaminada pelo 'peso' desse vento, pelo que as cautelas com o que se diz são ainda mais cuidadas...
- Dito isto, o empate seria um resultado justo (a posse de bola, para mim, não é critério decisivo, atendo-me mais às exibições dos guarda-redes, e o adversário teve menos trabalho do que Cássio; nós temos mais qualidade e mais domínio, mas fomos inexistentes no ataque; ainda assim, a vitória não é injusta porque fizemos mais e melhor para a procurar);
- Penso que se notou muita falta de entrosamento no meio campo (mesmo os que estão da época passada, como Tarantini, estão a fazer funções diferentes);
- A jogar com tantos médios, e com tanto futebol interior, a bola vai chegar poucas vezes ao ponta de lança; precisamos de alguém na área ou alguém cim um perfil mais móvel?
PS - andámos duas semanas a dizer que o inverno estava a chegar; e ele chegou mesmo...

Positivo e negativo contra o Belenenses

Negativo
O futebol praticado. Apesar de ter desculpado o jogo menos conseguido com o vento, com a falta de rotinas de início de temporada, o futebol que se viu não foi nada agradável. Claro que só podemos melhorar daqui em diante. A pressão dos jogos a sério irá exigir mais dos atletas que têm um treinador e um sistema novos, pelo que tenho esperança que a bons resultados se junte bom futebol.

O factor vento. Parece que vêm aí obras para atenuar o vento no nosso estádio... mas só nas bancadas. Continua a ser um mistério para mim como é que o Rio Ave aproveita tão mal o vento que se sente habitualmente na nossa terra e que se faz sentir em, grosso modo, pelo menos metade dos nossos jogos caseiros.

Positivo
Ganhar. Tudo espremido, balanço positivo, 3 pontos somados. Não há coisa melhor do que começar um ano novo com o melhor incentivo possível.

Belenenses, 1j: quem o feio ama...

belo lhe parece.

Olhando para o papel onde apontei umas notas, há mais coisas negativas do que positivas. Olhando o mesmo papel há um golo com o apontamento "Sorte" mesmo ao lado e no cabeçalho 1 golo para nós e nenhum para o Belém. São 3 pontos e já não fogem. É isso que eu vou guardar desta noite ventosa e de futebol desagradável. Muito nos roemos depois dos jogos em que o bom futebol não se espelha no resultado final. Por isso, não me vou queixar, pelo menos para já. Vou dar tempo para a equipa se equilibrar mais e os novos jogadores tenham rotina suficiente para lhes exigir mais. Afinal, foram 5 as estreias com a nossa camisola no onze inicial.

Para além de ver tanta cara nova envergando a nossa camisola, foi também a primeira vez que vi o jogo filmado do lado do superior. Confesso que foi estranho, cheguei até a confundir a direcção de onde o vento soprava. Primeiro estranha-se, depois já se sabe.

7.8.17

1-0 ao Belenenses. Fraquinho

Tivemos  sorte.
Jogamos quase sempre mal e não criamos oportunidades de perigo.
Valeu a classe  de Geraldes para animar a noite gélida.
Muito trabalho pela frente.
Valeram os 3 pontos e pouco mais.

Rio Ave vence o Belenenses 1-0 ao intervalo

Vento  forte, jogo fraco.
Pouco ou nada  se viu a jogar contra o vento.
Sorte no lance de  (auto)golo.
Espera- se mais na segunda parte.

Regressa o Rei do Ave

Nova época, à procura do novo Rei.
Quem sucederá ao bi-Cássio?
Pelo 9º ano continuaremos a pontuar os jogadores do Rio Ave (*) e a recolher as pontuações dos três diários desportivos, do Maisfutebol e do Correio da Manhã (o JN não pontua). Falta este ano, e pela primeira vez, o Paulo Vidal - pelas razões que já sabemos.

* para os três editores deste blogue, de zero a cinco pontos.

A primeira convocatória: todos os reforços presentes

Eis os 19:
- Cássio e Rui Vieira;
- Lionn, Monte, Yuri, Bruno Teles, Marcelo e Marcão;
- Pedro Moreira, Tarantini, RR, Geraldes, Nuno Santos, Leandrinho, Pelé, Barreto e Gabriel(zinho);
- Karamanos e Guedes;

Notas (a retirar apenas desta convocatória):
- estão todos os reforços;
- Silvério é, portanto, o quarto central;
- Nove médios para cinco postos é muita gente! [o que significa que MC vai deixar no banco gente com muita qualidade!]
- Yazalde de fora (tal como João Novais, Ronan, Silvério e Najdak, este a recuperar de problema físico; faltam os três jovens [Carlos Alves, Vitó e Jaime] para fazer os 27 [Kelechi não está na lista da Liga];

As contas da SDUQ para 17/18

Na AG de ontem foram-nos dadas "as linhas orientadoras" da SDUQ para esta época:
- orçamento de 7 milhões de euros (5 milhões para custos com pessoal);
- meio milhão para obras (novos relvados, sobretudo a substituição do sintético, e estádio);
- os resultados correntes apresentam um valor negativo de 2,4 milhões, a ser devidamente compensado por 4,6 milhões de receitas já garantidas com a venda dos jogadores neste verão (Ederson, Roderick, Krovinovic). Ou seja, deverá haver um resultado francamente positivo no final;
- o futebol custa 3,4 milhões;
- Equipa B custa 280 mil euros;
- A receitas de TV chegarão aos 4,5 milhões;

(peço desde já desculpa se percebi mal alguns dos valores, transmitidos oralmente na AG)

Sem estágio

Miguel Cardoso vai impondo o seu estilo.
Pelos vistos acabaram os estágios nos jogos em casa, até porque a equipa ainda treina esta manhã.
Só após o treino é que o míster divulgará os 18 que vão almoçar ao hotel e ali ficam em descanso até à hora do jogo - não é, portanto, um estágio em sentido convencional.
Com o plantel todo disponível, Miguel Cardoso terá de deixar muita gente de fora.
Estou curioso para saber quem vai chamar.

6.8.17

Voto contra o orçamento [ATUALizadox2]

Não é normal haver um voto contra o plano e orçamento.
Votei contra. As razões são simples: Um plano excelente, mas não tem correspondência no orçamento. Neste não existe qualquer rúbrica relativa às obras apresentadas. Das duas uma, ou não são para fazer ou querem um cheque em branco.
O Presidente do Conselho Fiscal ficou admirado com o voto contra. Eu fiquei ainda mais, como é que ninguém da direção verificou esse lapso, nem ninguém do conselho fiscal, nem da assembleia geral e mais nenhum sócio reparou.



ATUAlizo [jpmeneses]: Vítor, respondo o teu 'desafio' com esta nota pessoal: na apresentação das contas da SDUQ foi dito que havia meio milhão de euros para obras (relvados e estádio, escrevi eu nos meus apontamentos). Pelo meu lado, entendi que era aí que estava a explicação.

 ATUALIZAÇÃO 2 [Vítor Carvalho]: O Plano e Orçamentoque foi posto à votação, foi o do Rio Ave FC e não o da SDUQ. Pelo que se mantém a dúvida e o que foi posto à votação não bate a cara com a careta.