22.10.17

(Um-a-um frente ao Feirense): 8 jogadores com 1!

Cássio: 2 (o melhor, porque foi o único que não teve falhas)
Lionn: 2 (desinspirado)
Marcão: 1 (desinspirado e desacertado)
Marcelo: 2 (podia ter feito melhor no golo? De resto esteve bem, sobretudo na segunda parte)
Bruno Teles: 1 (desinspirado e desacertado)
Pelé: 1 (até o penalti falhou)
Tarantini: 2 (muita luta, mas muitos passes falhados; marcou golo limpo)
Barreto 1 (porque não posso dar zero)
Geraldes: 1 (porque não posso dar zero)
Ruben: 1 (desinspirado e desacertado)
Karamanos e Guedes: 1 (perto do zero)
Yuri Ribeiro: 1 (trapalhão)
Nuno Santos:  2 (mais uma vez tentou agitar e colocar alguma qualidade)
(foto: Rio Ave FC)

O melhor em campo? O adepto do Rio Ave. A equipa teve sempre apoio, mesmo a perder e acaba por sair sob aplausos, que premeiam o querer. Estes adeptos são top e mereciam mais!

Agora explico porque responsabilizo (em parte) MC pela derrota de ontem

Ainda nas bancadas do Marcolino Castro, escrevi que "há uma parte desta derrota que tem de ser assumida pelo treinador". Eis o que queria dizer:

1) O treinador não trouxe os melhores para o jogo. É apenas a minha opinião, mas Yazalde tem mais características para jogar neste Rio Ave do que, por exemplo, Karamanos.
2) O treinador aposta sempre na mesma forma de jogar, que os adversários já conhecem de cor e salteado. Nos primeiros quatro jogos resultou muito bem, mas a partir daí as exibições têm sido muito pobres, porque nos anulam com facilidade; [pelos vistos, vai ser sempre assim... *]
3) O treinador não pôs os melhores em campo: mais uma exibição próxima do zero de Barreto. E, contudo, foi titular, deixando Nuno Santos no banco;
4) Com mais um em campo e a perder, esperava alguma alteração ao intervalo. Miguel Cardoso não mexeu nesse momento, mas cinco minutos depois Guedes estava a entrar.
A estes quatro argumentos, poderia juntar mais um: o facto de haver vários titulares em subrendimento. Mas não vou culpar o míster por isso.

Que fique claro: Miguel Cardoso não é o único responsável pela derrota; os jogadores também têm a sua parte (e não é pequena - não foi o míster que falhou o penalti!). Já sobre a péssima arbitragem de Rui Oliveira, volto a afirmar: ao contrário do que diz o Rio Ave, não foi pelo árbitro que perdemos [embora fiquem muitas dúvidas porque foi anulado o golo a Tarantini, sendo que também podiamos ter sofrido uma grande penalidade na segunda parte, por alegada falta de Marcelo], ainda que este árbitro deva ser proibido de apitar!

* MC no final: «O nosso modelo tem congruência. E um modelo com congruência não é consistente. Consistência faz com que as pessoas sejam inflexíveis. A congruência torna-nos flexíveis, para perceber como jogar em cada um dos contextos. Nada nos vai desviar das nossas ideias de jogo. Inflexibilidade ou consistência é estupidez. E nós não queremos ser estúpidos.» (não sei se percebi..., talvez haja gralhas na transcrição do jornalista)
(foto: Maisfutebol)

21.10.17

Rio Ave bate recorde de posse de bola (... e perde!) [ATUAL.]

Na deslocação desta tarde a Santa Maria da Feira, o Rio Ave bateu, outra vez, o recorde de posse de bola num jogo da Liga NOS. 
O registo da equipa de Miguel Cardoso contra o Feirense, de Nuno Manta, foi de 75,3% e, tal como já tinha acontecido na recepção ao Desportivo das Aves (73,1%), os vila-condenses voltaram a não ganhar.
ATUALIzo a 22/10: Eis como o Rio Ave explica a posse de bola: "Na segunda metade o futebol quase não existiu. A equipa da casa usou e abusou do anti-jogo, demorando na reposição de bola, nas lesões que faziam cair no solo os jogadores ou nas bolas que não pareciam para seguir o jogo. A opção táctica do Feirense passou apenas por não deixar jogar o Rio Ave FC sem qualquer preocupação com construção de jogo ou pelo lado mais estático do jogo, daí se justificam os 75% de posse de bola do Rio Ave no final da partida.

O pior jogo do Rio Ave (derrota no Feirense)

Saio da Feira convencido de que tivemos a pior arbitragem deste  campeonato,  mas não foi pelo árbitro que perdemos.
Um jogo muito mau da nossa equipa, completamente desinspirada e sem argumentos para a garra do adversário.
Alguns dos nossos jogadores fizeram uma exibição próxima do zero.
Há uma parte desta derrota que tem de ser assumida pelo treinador.
Saio  frustrado com a derrota mas sobretudo pela forma como jogamos.
Deve  merecer reflexão.

Rio Ave perde 1-0 só intervalo na Feira

Mau jogo da nossa equipa.
Desinspirada.
Já falhamos  um pênalti

Yazalde nem no banco frente ao Feirense

Desilusão.
Mas vamos com estes 18 rumo à vitória

20.10.17

AG marcada para dia 29

(fonte JVC)

Yazalde vai ser titular (vai?) [ATUAL.]

O Rio Ave evoluiu muito em vários aspetos, sendo um deles a comunicação, e já nos habituamos a perceber que a comunicação está em articulação com os objetivos da equipa principal.
A entrevista a Yazalde, ontem, tem para mim mais valor do que parece.
Para mim, isto quer dizer uma coisa: amanhã Yazalde será titular em Santa Maria da Feira.
ATUALizo com as declarações do treinador hoje: "Dentro da nossa maneira de jogar não passa por ter um nove e isso é bom para mim, porque fico com recursos para lançá-lo a qualquer momento do jogo e com isso a equipa ganhar mais maturidade e agilidade ofensiva." [ou seja, se bem interpreto, MC não quer extremos e conta com Yazalde para a frente do ataque. "Lançá-lo a qualquer momento" significa que não será titular?]

O jogador mais popular do plantel

Cássio tornou-se um caso de popularidade entre os adeptos.
Arrisco mesmo dizer que é o jogador mais popular entre todos os que fazem parte do plantel.
Explicação?
Cumpre a quarta época em Vila do Conde - mas não é o que está há mais tempo.
Tem mostrado sempre grande qualidade (e tornou-se Bi-Rei do Ave!) - mas em todas as épocas tem havido jogadores de grande qualidade no plantel (de Krovinovic a Geraldes, de Marcelo a Hassan, de Tarantini a Ruben Ribeiro, de Ederson a Ukra, por exemplo);
Nem se pode dizer que é de Vila do Conde ou, até, que cá more.
Então?
A verdade é que Cássio e os adeptos casaram de tal forma que é normal ouvir em todos os jogos o seu nome ser cantado nas bancadas.


19.10.17

João Moreira Silva (adjunto) deixa Rio Ave

O vilacondense João Moreira Silva, que era adjunto de Miguel Cardoso, optou por voltar a trabalhar com Lito Vidigal nas Aves e já não esteve em S. João da Madeira no domingo.
Haverá substuição  na equipa técnica?

PS - João Moreira Silva era um dos dois antigos adjuntos de Lito Vidigal na atual equipa técnica do Rio Ave. Jorge Maciel continua por cá.

ATUALizo: João Moreira Silva foi esta tarde retirado da informação publicada no site:

Rio Ave recebe Braga na Taça de Portugal (ATUAL.)


Jogamos em casa.
Rumo  à vitória.

Quadro completo de jogos (marcados para 19 de novembro):

Atualizo: segundo a Renascença, já estamos apurados!

18.10.17

Incêndios e futebol

No futebol português o que mais se vê são "incendiários".
Infelizmente o ano de 2017 fica marcado pelos incêndios que custaram a vida a mais de cem pessoas.
É tempo de todos refletirmos e evitarmos que no futebol também aconteça uma desgraça semelhante.
Numa iniciativa da LPFP na próxima jornada haverá um minuto de silêncio e os bombeiros estarão com as equipas. 
Que este exemplo nos sirva, a todos, para termos uma atitude mais positiva e apaziguadora.

Viragem à esquerda

foto maisfutebol.iol.pt

São curiosidades do futebol. Só ontem consegui ver o resumo do jogo da Taça de Portugal com a Sanjoanense e duas coisas chamaram-me a atenção: os 4 golos foram apontados de pé esquerdo e dois deles por jogadores que vieram do banco.

Quantas vezes terá isto acontecido no Rio Ave?

Rafa Miranda brilha em Vila Verde (e elimina o Boavista!)

Garantem-me que foi um dos melhores em campo e um dos que mais contribuiu para a vitória do Vilaverdense frente ao Boavista no fim de semana.
Se alguém do Rio Ave observou o jogo, certamente veio com o bloco cheio de boas indicações.

Jaime também foi titular no Merelinense, na derrota 4-2 frente ao Nacional.

17.10.17

Afinal Gabriel estava lesionado (ATUAL.x2)

tinha estranhado a ausência e até especulado sobre o que se passaria - a verdade é que há vários jogos que Gabriel não consta da lista de convocados, mas como o Clube nada nos diz (e não me é possível ir ver os treinos), fiquei sem saber. Agora A Bola diz que está recuperado (tal como Guedes, aliás).
ATUALizado a 18/10: "Pedro Moreira realizou trabalho específico de recuperação, bem como Gabrielzinho. Silvério fez tratamento e Guedes trabalhou integrado" diz o site do Rio Ave, corrigindo A Bola de ontem.
Atualizado a 18/10: por falar em lesões, Ronan está a ser tratado nos Arcos.

PS - um dia explicaram-me que o Clube não tem o hábito de divulgar os lesionados para preservar os jogadores em causa. Coitados dos que jogam no Benfica, Sporting ou FC Porto, cujos problemas físicos são notícia regularmente.

Ainda as eleições

As eleições do próximo mês ainda não estão marcadas e ASC ainda não disse que avança - mas existe uma grande expetativa de que isso aconteça.
Ao seu lado, como presidente da AG, estará Mário Almeida?
É verdade que Mário Almeida disse (em 2015) que este seria o seu último mandato como dirigente do Rio Ave. Mas ninguém levará a mal que reconsidere - pelo contrário.
ASC e MA, cada um no seu papel, têm feito uma dupla de dirigentes de grande sucesso no nosso Clube. A dupla de maior sucesso. Continuarem é, portanto, normal.

PS - Em junho passaram 35 anos desde que Mário Almeida começou como dirigente do Rio Ave.  Volto a insistir na justeza de uma homenagem muito mais se decidir não continuar.
(13/10/1984, a inauguração do Estádio)

16.10.17

O empate B - excelente trabalho

O jogo de ontem da equipa B foi bastante interessante: permitiu perceber porque é que o Boavista B tem estado sempre nos primeiros lugares - é uma equipa com alguma qualidade técnica (mais do que a média, um pedaço menos do que o Rio Ave, penso) e com bastante agressividade (não estou a falar de violência).
Ao juntar estas duas características, conseguem-se resultados numa divisão como este distrital.
Ontem o Rio Ave teve azar, face ao domínio de jogo [não consegui ver o jogo todo, mas o que vi foi suficiente para garantir que fomos e somos melhores]. Ainda assim, alguns jogadores nucleares (como Ricardinho ou Leandro, estiveram um pouco desinspirados. Haveria de ser de grande penalidade o empate, através de Vitó.

O objetivo principal desta equipa não é conseguir resultados, mas formar jogadores que possam vir a ser aproveitados pelo plantel principal ou até ser vendidos para obter receitas. E também nessa área penso que está a ser feito um excelente trabalho, ainda que no início. Podemos não ficar em primeiro ou segundo no final, mas já se vê muita qualidade.


Jogo com o Paços adiado

A 16ª jornada do campeonato passou de 20 de dezembro para 3 de janeiro, o que significa que só recebemos o Paços já em 2018.
A 17/12 vamos a Chaves, quatro dias depois jogamos no Dragão para a 1ª jornada da Taça da Liga (em atraso) e depois  há férias de Natal.
O último jogo em casa, este ano, é a 8 de dezembro, frente ao Moreirense. E a bola só volta a rolar no Estádio quase um mês depois!
(tá mal...)

Ainda a(s coisas boas desta) vitória em S. João da Madeira

O Rio Ave conseguiu o resultado mais dilatado nesta eliminatória da Taça, depois daquele que o FC Porto obteve (em casa emprestada...) frente ao Lusitano de Évora. É verdade que o Guimarães venceu 6-1 em Sines, mas frente a uma equipa dos distritais de Beja...
Os 4-0, pelo que se viu no resumo da Sporttv e pelo que se lê nos jornais de hoje, representam um resultado justo face à diferença das duas equipas.
O Rio Ave fez o que devia ter feito (o normal, portanto)?
Sim, mas sabemos que nestes jogos da Taça de Portugal nem sempre acontece o normal.
Daí poder dizer-se que a equipa merece um aplauso.

PS - o elogio a Yazalde, no texto oficial do site: "já nos descontos, Yazalde, que entrou também no decorrer da segunda metade, faz o 4-o, coroando uma exibição muito positiva do avançado que regressou aos golos depois de um período de recuperação de lesão"

15.10.17

4-0 em S. João da Madeira. O que há para dizer

1) Enganei-me no onze. Pensava  que MC iria articular mais com menos, mas afinal foi só mais. Um onze onde nem Nuno Santos teve lugar. Esta equipa pode muito bem ser a mesma que vai fazer o próximo jogo para o campeonato;
2) MC não quis facilitar, mantendo o onze em alta rotação competitiva, e o resultado reflete isso mesmo. Terá havido outra equipa da 1ª divisão que tenha jogado com um adversário dois escalões abaixo sem cedências no onze? (não é uma crítica, apenas uma observação)
3) Karamanos estreou-se a marcar (estava na hora), mas Yazalde também. Com muito menos minutos também já tem um golo.
4) Ruben Ribeiro saiu aos 62 minutos. "A partir do segundo golo, o jogo foi gerido pensando em quem precisava de jogar" explicou o mister.

PS - uma frase de Miguel Cardoso para reter: «Jamor? Não tiro sonhos aos jogadores, alimento-os»

Perdoa-me André Jacaré!

Lembro-me muito bem do último jogo que o Rio Ave fez contra a Sanjoanense, foi em Janeiro de 2001 também para a taça de Portugal, e digo lembro-me bem porque foi a um dia da semana, e disputou-se  bem próximo do local onde eu trabalhava na altura(Simoldes – Oliveira de Azeméis), lembro-me que faltei ao trabalho de tarde para poder acompanhar o  Vidal no Relato.
O Rio Ave ganhou por 1-0, e o jogo foi muito fraquinho…Mas não estou aqui para falar do Jogo, pois já o fiz.
Queria antes destacar jogadores que jogavam nessa equipa, e se tornaram grandes amigos. Mas  com  um deles tornou-se  o chamado ódio saudável, nada contra a pessoa, apenas contra o jogador, que "Barrete" o Rio Ave enfiou!
Perdoa-me André Jacaré! Eu bati tanto no “ceguinho”, em ti, que acho que depois desse jogo, Carlos Brito não teve mais coragem de te lançar às “feras”, sim porque afinal os outros é que eram os jacarés! André Jacaré, o tal reforço que tinha custado uma fortuna ao Rio Ave, e que Carlos Brito viu jogar em Goiás, com mais de 60 mil na bancada…  "- Este vai render milhões ao Rio Ave,  não engana, dizia o Carlos antes do Jogo...!" - Que desilusão…
Acho que todos os que viam jogos, nesse tempo, se lembram do esforço que era feito para o manter em campo, apenas porque tinha custado uma fortuna, não vou falar de números, porque nem me atrevo! Era mesmo Jacaré, nisso o Carlos tinha razão quando dizia que não iria enganar, rasteiro, lento, perdulário e preguiçoso!
É que nem nos jogos da taça! Lembro-me ainda que conseguiu marcar um golo ao Benfica (aí tive que engolir os sapos todos) antes de ser emprestado ao Rio Tinto, depois disso, não mais ouvi falar nele!
Mas ficaram sem dúvida os bons amigos desse tempo, Gama, Evandro, Niquinha, Luis Coentrão, Miguelito, Péu, Quim Cunha, um forte abraço a todos…!
Hoje se vencermos por 1-0 já não é mau, digo eu!


Foto Site: AD Sanjoanense.

14.10.17

André Dias, lembram_se?

Está no Olhanense e deve defrontar hoje o Benfica.
Esteve várias épocas em Vila do Conde - mas a chegada de Nuno ditou a sua saída.
Sete jogos pela equipa principal em três épocas é pouco. Mas soube seguir a sua carreira, sem baixar os braços.

A saída de Nelson Monte do onze

É um daqueles temas difíceis de abordar.
Difícel porque verdadeiramente apenas o treinador sabe o que os jogadores estão a render em cada momento.
Difícil porque qualquer um dos três envolvidos tem estado muito bem.
Difícil porque o adepto mistura sempre o lado irracional.
Vem isto a propósito do que se pode ler no JVC desta semana, sobre a saída de Nelson Monte do onze, depois de dois jogos a titular (em que esteve muito bem).
(em resumo, duas situações diferentes: no caso de Nelson Monte, todos reconhecerão que os seus substitutos têm no mínimo a mesma qualidade; no caso de Yazalde, estou convencido, pelo menos nesta altura, de que faria melhor do que os concorrentes)

13.10.17

Jorge Mendes mais longe (ATUAL.)

Desde que ASC é Presidente do Rio Ave, não há memória de um plantel com tão pouca presença de jogadores representados por Jorge Mendes.
Dos que já estavam, restará Vitó (Marcelo, segundo o transfermarket, mudou de empresário) e Nadjack (atualizado);
Dos que chegaram, sabe-se que JM esteve envolvido na transferência de Gabrielzinho.
E o zerozero diz que Yuri Ribeiro também é representado pelo empresário.

(Ou seja, nem um irmão mais novo, um tio, um primo...)

Um onze diferente

MC tem sido super-coerente nas escolhas que faz e o jogo em Paços deixou margem apenas para três alterações (Lionn por Nadjack, Tarantini por Leandrinho e Barreto por Nuno Santos [sendo que neste caso, Santos ganhou a posição pelos últimos jogos realizados]).
Acredito que em S. João da Madeira vamos ter outras novidades.
Desde logo, Yazalde a titular.
Depois a incógnita à volta de Gabriel.
Finalmente, uma oportunidade para Silvério na defesa.

MC vai equilibrar o onze entre habituais titulares e jogadores com poucas oportunidades.
Vamos ver se não me engano...

12.10.17

Manuel Justo (Sensible Soccers) lembra o dia da "loucura total"

"A loucura foi tanta no golo que um grande amigo meu caiu violentamente com as costelas numas escadas. Foi imediatamente ao hospital e ficou para aí um ano dorido", recorda-nos Manuel Justo.
(fotos: Facebook de Manuel Justo)


10 jogos, 12+7 golos (quem marca e como)

A 3 dias do início da nossa participação na Taça de Portugal, vamos olhar para a forma como andamos a ganhar jogos na Liga e na Taça da Liga. Os jogos ganham-se marcando golos e é aos golos que vamos prestar alguma atenção. 

O balanço é claramente positivo nestes 10 jogos: 12 marcados para 7 sofridos. Marcémos em 8 jogos e sofremos em 6.

Na lista dos jogadores que já apontaram golos, encontramos um que nem joga por nós, mas que fez autogolo a nosso favor na Liga. Ninguém se destaca em especial e os 2 melhores marcadores até são 2 jogadores que não têm sido alvo de grande consenso entre os rioavistas. Guedes tem sido regularmente o melhor marcador nas épocas anteriores, mas não apresenta números que nos façam esquecer, por exemplo, João Tomás. Já Barreto, recém-chegado ao clube e à Europa, ainda não parece convencer totalmente. No entanto, para um jogador que joga mais deslocado para as alas, não está mal.



Já no que toca "ao pé que está mais à mão para marcar", há igualdade entre pernas para marcar, mas para sofrer é a direita que leva vantagem. Apreciável é também o número de golos obtidos de cabeça.



Pelo lado das situações de jogo que resultam em golos, tem sido de bola corrida que mais golos temos marcado, se considerarmos isoladamente cada uma das situações descritas na imagem abaixo. No entanto, há uma igualdade entre bolas corridas e bolas paradas: cada uma gerou 6 golos marcados. Nos sofridos, vantagem para a bola corrida.


O tempo dos golos mostra o curioso cenário abaixo: nas primeiras partes só nós marcámos, ainda que seja na segunda parte que mais golos obtemos. Os últimos 15 minutos de jogo concentram a maior parte dos golos que marcámos.



Último olhar para os golos para dizer que Pedro Moreira e Barreto já marcaram na condição de suplentes utilizados. Já os nossos adversários só conseguiram que os seus suplentes marcassem uma vez. 


11.10.17

Duas estreias absolutas na equipa B

Do empate a 1 golo na Maia, há a reter:
- o regresso de Vitó à competição;
- a estreia de Murilo na lateral esquerda (Tiago André esteve no banco mas entrou aos 84 minutos) - falaremos dele numa das próximas semanas;
- duas estreias absolutas no ataque: Salim e André Silva, suplentes utilizados; Salim é holandês; André Silva é brasileiro, ambos fizeram 20 anos recentemente. André Silva fez o golo do empate.
(fotos: Rio Ave FC)

10 jogos, 22 jogadores - RR

Miguel Cardoso já chamou ao relvado 22 dos 25 jogadores do plantel.
Estão por estrear Carlos Alves, Vitó e Silvério [não, não vou fazer qualquer comentário sobre a coincidência].
Destes 22, um se destaca: Ruben Ribeiro!
É o homem sem o qual MC não passa e aquele que não falhou um jogo.
Fez os 10 a titular e só foi substituído (mesmo no final) em dois.
(foto: Rio Ave FC)

Futsal: a nova equipa de iniciados

A formação do Rio Ave em futsal conta com uma nova equipa: aos juniores e juvenis juntam-se os iniciados, que competirão na 2ª divisão distrital.
Saúda-se o aparecimento de mais uma equipa, na medida em que isso - à partida - engrandece o Clube: mais jovens a praticar e a vestir a nossa Camisola.

PS - vitória por 22-0 no jogo de estreia.
(não consegui encontrar uma foto desta equipa; a que publico acima é, penso, da equipa de juvenis)

10.10.17

10 jogos, 2 derrotas

Com o empate em Paços, o Rio Ave fecha o primeiro ciclo de 10 jogos esta época.
5 vitórias, três empates e duas derrotas.
Há 8 jogos para a Liga e dois para Taça da Liga..
Derrotas na Madeira e com o FC Porto.
Empates nas Aves, em Paços e com o Benfica.
O resto são vitórias.
Os números não deixam margem para dúvidas: está a ser um campeonato positivo.
(Foto: Facebook Rio Ave FC)

A mudança das câmaras da Sporttv para a outra bancada

"Em Espanha, no mês passado, o Celta de Vigo foi condenado a pagar uma multa por ter tido uma ocupação inferior a 75 por cento nos setores do Estádio dos Balaídos opostos à câmara principal da transmissão televisiva nos seus dois primeiros jogos em casa – e a sanção duplica se for abaixo dos 50 por cento. A regra da “perceção audiovisual do jogo”, que pede aos clubes para colocarem o máximo de espetadores possível entre as bancadas superiores, entrou em vigor esta época. “Numa ótima transmissão televisiva, o estádio deve parecer estar cheio. As penalizações só não se aplicam em casos de condições meteorológicas adversas”, pode ler-se no regulamento, votado pelos clubes e implementado com o objetivo de melhorar os jogos da Liga espanhola enquanto produto televisivo, “tornando a competição mais atrativa para o mercado nacional e internacional”.

9.10.17

Um campeonato positivo

O momento de paragem serve para olharmos para trás e analisarmos, sem o calor dos resultados, o que tem sido feito.
Eis a minha análise (publicada no Terras do Ave desta semana):

Algumas notas sobre o empate de ontem (3-5-2; Yazalde e Pelé)

1) MC apostou num onze de titulares. Cássio, Lionn e Tarantini (nem no banco) descansaram mas de resto...
2) Pela primeira vez o treinador saiu do esquema tradicional, ao tirar Bruno Teles para meter Barreto e Pelé para entrar Yazalde. A equipa termina num 3-5-2;
3) Yazalde estreou-se; teremos mais em S. João da Madeira?
4) Voltamos a ser felizes nos descontos, depois de Setúbal; o golo do Marítimo está 'vingado'...
5) golo de cabeça de Barreto;
6) Pelé não só não está na sua seleção como foi titular; como é que estas coisas acontecem, caros jornalistas? [da nossa parte, um pedido de desculpas pelo erro involuntário]
(fotoi: Rio Ave FC)

8.10.17

Um empate ao cair do pano.


O Rio Ave empatou 1-1 com o passos de Ferreira naquela que foi a primeira jornada do Rio Ave  para o grupo D, da Taça CTT ( taça da Liga).

O paços marcou 1º  por intermédio de Mabil 54’, talvez um pouco contra a corrente do jogo. Com as alterações forçadas por estar a perder, o treinador do Rio Ave coloca  Yazalde, Barreto  e João Novais  em campo, e o Rio Ave consegue marcar já nos descontos 90+3, por intermédio de Óscar  Barreto numa excelente jogada do Rio Ave numa boa finalização de cabeça.

Um Rio ave com algumas novidades no onze, construiu alguns lances interessantes assim que vencia a zona de pressão do Paços,  quase sempre sob a batuta de Rúben Ribeiro e Francisco Geraldes. Gostei da exibição do Guarda Redes Rui Vieira, e o melhor em campo terá mesmo sido Nuno Santos, pareceu-me estar a dizer ao treinador que quer ser titular!

Valeu ao Rio Ave não ter perdido porque assim mantém tudo em aberto no grupo, o próximo jogo é com o Leixões em casa no dia 29 de Novembro. 

Rio Ave: Rui Vieira, Nadjack, Marcelo, Marcão, Bruno Teles (Óscar Barreto, 75), Pelé (Yazalde, 80), Leandrinho (João Novais, 70), Nuno Santos, Francisco Geraldes, Rúben Ribeiro e Karamanos.


"Este plantel e esta equipa têm uma única cara"

«Analisei durante a semana o que este jogo pede e cheguei à conclusão que não haverá grandes mudanças na equipa. Este plantel e esta equipa têm uma única cara, seja qual for a competição e o adversário,» diz Miguel Cardoso.
PS - sem Pelé (na seleção guineense), será a estreia de Pedro Moreira.

(uma novidade hoje: equipa principal às 15h em Paços, equipa B às 16h na Maia)

Ainda o excesso de qualidade da equipa B

Escrevi aqui há uns dias que a nossa equipa B tinha excesso de qualidade para o campeonato que disputa.
Dir-se-á: já sabiamos que assim seria, é normal.
Provavelmente sim, mas eu reconheço que não sabia como eram as equipas deste distrital.
Pelo que vi até agora (pouco, reconheço), é muita porrada, muito jogo físico e pouca qualidadade técnica, que individual quer em termos táticos.
E o Rio Ave marca a diferença de forma muito vincada: apesar de sentir algumas limitações no ataque, temos uma defesa muito forte e um meio campo muito acima da média.
Há muitos anos que o presidente da FPF anda a prometer abertura para as equipas B no CNS.
Veremos quando cumpre a promessa...
(AxB em treino esta semana; foto: Facebook Rio Ave FC)


7.10.17

O VAR e o Rio Ave (em atualização)

(O objetivo é irmos sistematizando as várias situações de recurso ao VAR envolvendo o nosso Clube)


No jogo Rio Ave-Portimonense, desta 3.ª jornada, aconteceu algo que, sendo raro, é possível acontecer. O VAR deu indicação ao árbitro para que revisse um lance de possível mão na área (pontapé de penálti) e o árbitro, após visionar as imagens, decidiu manter a sua decisão de nada assinalar considerando que foi bola na mão e não o inverso. Precipitou-se o VAR. Esteve excelente o árbitro na opção de manter a sua decisão inicial

(5ª jornada) No clube de Vila do Conde lamenta-se a falta de sensibilidade do juiz para essa situação, uma vez que ele próprio tinha noção de que o relvado não era o ideal para a prática de futebol, face às frequentes escorregadelas dos jogadores, o que terá motivado a abordagem faltosa de Geraldes. Note-se, ainda assim, que a expulsão do médio emprestado pelo Sporting foi indicada pelo vídeo-árbitro Bruno Paixão. Não é de estranhar, em todo o caso, que surjam outras queixas relacionadas com a arbitragemRefira-se que o Rio Ave vai aproveitar a visita à Liga para também expor a sua insatisfação face às decisões de arbitragem, nomeadamente o critério utilizado pelo VAR na expulsão de Francisco Geraldes, comparativamente com outros lances que ocorreram neste campeonato, juntando ao rol de reclamações deste encontro um fora de jogo no golo do Marítimo e uma grande penalidade sobre Leandrinho.

(7ªj - Setúbal: Em Vila do Conde, Rui Costa também recebeu indicação. Vasco Fernandes não tocou na bola no golo do Vitória. Mais, mesmo se tivesse desviado a bola, o defesa não estava fora-de-jogo, como o VAR deve ter confirmado facilmente. O golo acabou por não servir ao Vitória, acabou por perder, mas foi validado e ainda bem porque foi limpo.

6.10.17

Somos feios, porcos e maus, malandros, canastrões, nada disso ou nenhuma das anteriores?

O quadro abaixo provém de informação obtida no zerozero.pt.
(Como nota de análise, refira-se que esse portal de informação desportiva contabiliza um duplo amarelo como 2 amarelos e também como duplo amarelo.)
clicar na imagem para aumentar
O Rio Ave é 3º neste ranking. E o que significa isto? Que a equipa é indisciplinada? Que os árbitros não gostam de nós? Que somos imprudentes? Que o nosso estilo de jogo é que nos leva estes números?

Que dizer, por exemplo, dos números do Benfica?

Acima da média

Depois de uma queda abrupta na forma da nossa equipa, eis que a vitória sobre o Setúbal nos volta a dar uma exibição acima dos 50 pontos.
Foi uma subida considerável acentuando mais a subida já registada com o jogo das Aves. Em termos de média, estabilizamos ali por volta dos 49 pontos.

Esta forma de medir a nossa forma assenta, como sabem, na prestação dos nossos jogadores. Do que eles fazem jogo a jogo encontramos no final de época aquele que ficará com o título de Rei do Ave. Já vimos que nesta jornada o melhor foi Bruno Teles. Foi a primeira vez que o lateral esquerdo foi o melhor de uma jornada.

Globalmente, Cássio, bi-Rei em título, continua no topo da tabela. Ruben Ribeiro é 2º tendo conseguido encurtar para 5 pontos a distância para Cássio. Tarantini é agora 3º, aproveitando a queda de Marcelo que não jogou por castigo. Também Geraldes se destaca ao subir 3 lugares sendo agora 4º.

Novo sintético - já se joga (CORR)

Três semanas foram suficientes para mudar o sintético nº1.
(tanto quanto percebi vai ficar apenas com as marcações máximas, para poder ser usado pela B; CORRigido: um responsável do Rio Ave garante que são coisas independentes, a opção pelas marcações no sintético 2 e a utilização do 1 pela equipa B)

5.10.17

Construir demora mais que destruir


Tendo em conta a ambição que temos em alcançar um lugar europeu, o que mais se destaca do gráfico acima é o facto de nos termos aproximado pontualmente do 4º lugar.

Em 2 jornadas tínhamos perdido 5 pontos que nos tiraram da Europa, agora também em 2 jogos conseguimos recuperar 3 pontos. Continuámos deficitários, mas invertemos a tendência.

Vamos à Feira na 9º jornada, enquanto o Marítimo vai a Setúbal. Entre nós e eles o Braga que se desloca a Moreira de Cónegos.

A grande conjugação

Sabiam que se os nossos jogos acabassem ao intervalo só teríamos 12 pontos somados ao invés dos actuais 14?

E que isto ajuda a explicar isso?

De facto, nos nossos jogos só nós marcámos golos nas primeiras partes. Isso aconteceu em 2 jogos e resultou em duas vitórias. Com golos marcados só na segunda parte temos 5 jogos. À data de hoje temos mais golos sofridos que marcados em cada uma das partes dos jogos.

Outro facto que resulta directamente do jogo contra o Setúbal prende-se com a aproximação da situação de jogo em que ocorrem os golos.
Foram 2 golos marcados após livres, o que eleva para 4 as situações de bola parada que resultaram em golo. E nas bolas paradas temos que

Por outro lado, os nossos jogadores acertam mais na baliza quando rematam de pé esquerdo.